Mater’s Sun (2013)

masters-sun-official-poster-4

Um final digno.

Não sou daquelas que julgam uma obra pelo seu final. Do tipo que odeia Lost por que não gostou do final e então, por isso, descarta a excelente série que foi. Não, não sou assim. Mas acho que o final é fundamental para qualquer obra, a conclusão de um trabalho, de um pensamento para que nós os receptores possamos entender o toque final do autor, é como uma música, se ela não acaba bem, ela meio que perde o sentindo. Pra mim é assim.

Com os dramas coreanos, não é diferente. No entanto, já estou meio que acostumada com os finais sem final que eles nos dão. São finais que você não vê aquilo como um fim, parece que o autor, o redator ou sei lá quem, simplesmente parou de escrever a cena e ficou por isso mesmo, um drama sem conclusão e a gente com cara de tacho.

Mas, e um MAS em caps lock, há exceções, e nesse caso lhes apresento Master Sun, e me surpreendi, e não é por quer é final perfeito e glorioso, não é para tanto, mas vindo de quem fez, pra mim foi nota 10!

Master Sun é das famosas irmãs Hong e apesar de sempre reclamar dos finais que elas escrevem, eu realmente amo os dramas dessas mulheres, dentre eles estão os que eu assistir:

Big

My Girlfriend is a Gumiho

My girl

You’re Beautiful

E uma das características que eu sempre associo com os dramas que elas escrevem é o final mal feito, ou então sem conclusão. Porém, isso não retira todos os créditos que de como os dramas delas tem sempre aquele ótimo senso de humor que eu amo, o bom de Master Sun é que teve tudo isso e mais um final digno de ser visto!

Foi um drama diferente, e caracteristicamente sempre tem aquele romance que a primeira vista é impossível de se concretizar. Nesse aspecto Master Sun é tão clichê quanto qualquer outro ( e eu adoroooo), a mocinha pobre e destrambelhada se ver envolvida com um ricasso e calculista homem (um chaebol é claro), mas o tempero dessa relação é que ela pode ver fantasmas. E o legal dessa história é capacidade de misturar terror, humor e romance em um drama só! E funcionou tão bem que é impossível não gostar de Master Sun.

Os personagens foram bem construídos, o que já é 50% de um bom drama.

Me apaixonei pelas loucurinhas de Tae Gong Sil, o “sol”, a única forma dela ficar livre dos fantasmas era tocando no Joo Joong-Won, ela fazia caras e bocas e sempre me faziam rir, ela não uma mocinha normal, ainda mais quando ela incorporava os espíritos alheios, era muita risada. Essa atriz é demais, ela fluía muito bem das cenas dramáticas para as cenas românticas e as de humor. Outra coisa que me chamou atenção é que ela não era bonita, nem se vestia bem, mas ainda sim tinha uma beleza só dela que casou muito bem com o papel de garota iluminada.

Quanto ao mocinho, meu pensamento era: é só eu assistir um drama novo que eu conheço um novo oppa. Gente, que homem era aquele? Novamente, ele não era bonitão como sempre a gente vê, mais ele tinha um charme e timing incrível, que só vendo o drama para entender. O personagem em si era chatinho como na maioria dos dramas, o homem rico, bonito e que tem o mundo aos seus pés, mas que sofre de algum trauma no passado que o afeta e que o impede de seguir em frente. No caso dele, o fantasma do seu primeiro amor (sempre ele) que o persegue e o impede de desvendar o seu sequestro que ocorreu há quinze anos e que ela pode está envolvida. Apenas o que me incomodou foi os gestos exagerados dele com as mãos, mas acho que fazia parte da caracterização dele. Por outro lado, as cenas de ciúmes dele, me deixaram boba de tão feliz (amo cenas de ciúmes), apesar de não se aproximar romanticamente de Going Sil, ele sempre impedia que qualquer outro também tivesse chances com ela, e mais uma vez, as cenas eram ótimas!

Pura química entre esses dois, e lindos

Pura química entre esses dois, e lindos

Outra característica presente nos dramas das irmãs Hong é a disputa entre dois homens pela mocinha. E também aqui elas me surpreenderam. Dessa vez o personagem Kang-Woo, vivido pelo lindo, tudo de bom, senhor do biquinho mais charmoso do planeta ator  Seo In Guk. O que dificilmente me atinge, me alcançou dessa vez e eu fiquei balançada com o sofrimento dele, e confesso que fiquei boa parte torcendo (inutilmente) por ele. Sempre tão fofo e tão lindo vivendo um amor não correspondido pela Gong Sil, enfim foi lindo ele e por mim, iria até a Coreia só para consolar essa coisa linda :* (desculpem-me, mas não posso evitar sonhar desse jeito)

Agora, os pontos fracos:

1- A falsa vilã. Faz parte, eu sei, sempre tem a garota chata que atrapalha a vida da mocinho e de seu amor. Mas poxa irmãs Hong, sempre isso? Dessa vez era a insuportável Tae Yi-Ryung, e o papel dela era esse mesmo, ser pentelha até o fim, tanto que o apelido dela era “pequeno sol”. Mas mesmo sabendo que ela fazia parte da história, eu descartava na hora, chata, chata, chata. Não era uma vilã, só era uma chata.

2- As metáforas. Sempre tem uma metáfora que o casal apaixonado se baseia, nesse caso era uma história sem pé nem cabeça de um lobo que se apaixona por um cordeiro (????????), pra mim também era dispensável, faz o teste, tira da história e ver se muda alguma coisa? Nada! Não faz falta alguma e só é para encher linguiça e deixar o enredo chato, o que deixou!

3- Os problemas no romance. Para os dois ficaram juntos tem que existir algo com que os dois superem isso, para enfim terem um final feliz, algum problema substancial, que exija que os dois lutem por isso o que pode gerar conflitos que até separem (momentaneamente) os dois. O que não acontece aqui. Até hoje ( 24 horas depois de terminar master Sun) não entendi qual o problemas dos dois que gerou tanta lágrimas, tantos adeus, e tanta lenga-lenga. A verdade é que não houve nada. Ele disse que a amava, ela sabia que amava ele, ele também sabia que era recíproco, e aí? Não havia problemas com a família (que sempre há), nem a questão financeira, só os casos dos fantasmas, mas que aí, no enredo, só era um detalhe. Não entendi tanto problemas que eles colocaram para manter o casal separado.

4- O caso do sequestro. Não entendi. Mesmo. Até tinha certa lógica, mas deixou algumas linhas soltas o que me gerou dúvidas sobre o que aconteceu. Entendi que as gêmeas trocaram de lugar ( Mulheres de areia asiáticas feeling), a do mal orquestrou se passar pela boazinha, fez o sequestro, a boazinha ficou com a fama de culpada, e a má saiu ilesa e rica. Parece simples assim? Podia ser, mas eles envolverem um tio que não contou que tinha gêmeas, e daí enfim, o problema era bom, mas a explicação deixou a desejar.

5- Capítulo extra. Minha constante falta de tempo para assistir dramas vem me fazendo valorizar dramas enxutos no padrão 16 episódios. A hitória não tende a enrolar tanto e fica mais objetiva. Master’s Sub estava seguindo esse objetivo, porém, não sei se devido a audiência (que ouvi dizer era cada dia maior) ou qualquer coisa estenderam o drama para mais um episódio, o que não gostei, por que o 16 não teve nada de mais e foi tudo ZZZZzzzz….., pularia fácil aquilo e iria para o final, não houve acréscimo em nada.

Enfim, apesar das críticas, ainda sim foi um drama ótimo, para não dizer perfeito. Até agora 2013 não tinha tirado meus aplausos como foi em 2012 (o melhor ano de doramas para mim), e até Heirs não me trouxe essa sensação, e eu sei que ainda tem muitos bons ai pra mim ver (como o tão falado Gu Family Book), mas por hora, Master’s Sun ganha meu 1º lugar do ano, por quer tudo, realmente tudo foi bem montado, da trilha sonora ( com a ótima música Nobody das Wonder Girls) aos posteres oficiais, tudo se encaixou e me fez feliz em assistir!

Conclusão: Terror, romance e comédia é o que há!

Nota: 10!

Persuasão

 Não, não é uma fanfic sobre Persuasão de Jane Austen (embora ainda vou fazer uma sobre <3), mas sim mais uma fanfic sobre Boys Before Flowers, e eu ainda me pergunto quando eu vou deixar de amar essa história, enquanto isso não acaba, continuo escrevendo sobre esse drama lindo!

A história é bem leve, fiz rapidinho com o objetivo de fazer comédia. Espero que curtam 😀

 

P.s.:  Na minha página no Fanfiction.net algumas pessoas me pediram para fazer minhas fanfics também em Inglês, o que eu amaria fazer, já que a maioria dos leitores são de outras línguas (há pouquíssimos em Português!), mas infelizmente não tenho tempo para isso, a tradução requer tempo e habilidade, e infelizmente meu Inglês não é tão bom assim para fazer isso. Espero que entendam.

http://www.fanfiction.net/s/9792967/1/Persuas%C3%A3o  

 

Scent of Woman (2011)

Imagem

Poster oficial

Lee Yeon Jae (vivida pela atriz Kim Sun Ah) é uma mulher que sempre teve uma vida bastante difícil e apesar de dá tudo de si no seu trabalho, não é reconhecida pelo seu chefe (e na verdade é apenas humilhada por ele), no entanto, tudo muda quando ela descobre um cancêr terminal e que possui apenas 6 meses de vida, a conclusão é que nunca viveu de verdade e nunca encontrou o amor. Com essa noticia, ela decide aproveitar seus útimos de vida como nunca antes, o que ela não esperava é se apaixonar pelo filho do dono da empresa que ela trabalhava, Kang Ji Wook (Lee Dong Wook <3). Agora como viver um grande amor sabendo que tem poucos dias de vida?

O que eu posso falar sobre esse drama tão perfeito? Tão lindo e emocionante? Do elenco aos cenários, das histórias paralelas ao figurino tudo tudo me conquistou e me marcou profundamente em Scent of Womam. A começar pelo fator dele ser meu primeiro dorama! Então é impossível esquecê-lo. Os outros dramas que eu assisti logo depois foram com os mesmos atores e assim começou esse vício tão amado ❤

Imagem

Okinawa no Japão, uma das paisagens maravilhosas mostradas no drama

Imagem

As cenas de tango são apaixonantes

Imagem

Lee Dong Wook sendo apenas um ótimo ator, e eu sou totalmente imparcial quanto essa imagem…

A história, por mais clichê que fosse, foi desempenhada perfeitamente pelos dois atores, primeiro Lee Dong Wook viveu o papel de um homem que é rico, é bonito, tem um bom emprego, mas nada disso o chamava a viver, ele era apático quanto a tudo e se viu vivendo uma vida manipulada pelo seu pai e mesmo quanto ao seu destino, ele não tinha controle, foi obrigado a se casar com uma rica herdeira em beneficio da empresa do seu pai. Só quando ele conhece Lee Yon Jae (uma mulher mais velha e que não tem nenhuma expectativa do futuro) é que começa não apenas a se apaixonar de verdade, mas também a viver e tomar suas próprias decisões.

As cenas deles juntos são lindas, é uma química forte ali, tanto que eu até torcia para que os atores também tivessem alguma coisa, por que era realmente lindo. Tanto nas cenas de dramas, quanto nos momentos em que havia comédia, a interação era contagiante.

A trilha sonora foi o primeiro contato que eu tive com o Kpop, e me apaguei, baixei a OST completa, sentia até um arrepio quando tinhas as cenas de tango e começava a tocar “You’re so beautiful” do Junsu, até hoje (quase três anos depois) ainda tá na playlist do meu celular! Mas não era apenas essa, as músicas foram perfeitas para cada momento, as lentas, as animadas, as tristes, todas foram de tocar o coração!

Enfim, eu poderia descrever cada episódio, cada cena como perfeita, por que esse drama é realmente ótimo, eu recomendo a todos a assistirem, as minhas amigas da faculdade ( e que hoje também são viciadas em kdramas) foram conquistas através desse drama.

Assistam apenas e entedem esse amor!

Imagem

Tão lindos juntos

Conclusão: Amor a primeira vista existe de fato

Nota: 10, alguma dúvida?

J-Drama Itazura na Kiss Love in Tokyo

Imagem

Um Jdrama apaixonante!

Itazura na Kiss, Love in Tokyo é mais uma adaptação do mangá Itazura na Kiss, que já teve suas versões Twanesa e Coreana, na verdade ele é um ramake do drama, também japonês, de 1996!

Sinopse: Basicamente, Kotoko Aihara é uma aluna do colegial com uma paixão platônica pelo frio, inteligente e inatingível Naoki Irie. Ela, por assim dizer, pertence a classe “F” da escola, enquanto ele é da classe “A”, onde ficam os mais inteligentes. Depois de reunir toda a sua coragem, ela escreve para ele uma carta de amor, mas é miseravelmente dispensada por ele. No entanto, sua sorte muda quando a casa nova que ela acabara de construir com seu pai é atingida por um fragmento de meteoro e vem ao chão. Sem lugar para irem, eles acabam aceitando a ajuda de um antigo amigo de seu pai. Ao chegar ela descobre o filho deles é nada mais nada menos…

Enfim, levei algum tempo até decidir assistir Love in Tokio por diversos motivos, um deles é o fato da história ser difícil de engolir. Quem já conhece o enredo entende: uma garota que não tem um pingo de orgulho próprio! É de matar! O Naoki é um personagem que só acaba com a Kotoko em 70% do tempo, brinca com ela, com seus sentimentos, a humilha, a despreza e isso é só o começo, mas ela continua gostando dele! É terrível!

Mas, Love in Tokio me fez assistir novamente a mesma coisa, e teve um bônus: eu gamei, gamei de coração!

Isso por quer é muito fofo, todo fofo, recheado de fofurisse, coberto com fofura e mais fofura, é lindo e eu amei!

As cenas foram romanticamente montadas, 

Notas

1-Não entendi muito bem a referência do subtitulo “Love in Tokyo”, quando ouvia isso, vinha em minha mente vários cenários deslumbrantes da cidade, mas não foi isso que vi. Teve cenas bonitas, claro, mas a maioria era repetida, como a praça perto da casa deles, ou o corredor de árvores em direção à escola/faculdade Tonan, mas nada muito especial, o que é uma pena, as cenas externas poderiam ser mais aproveitadas.

2- Mais uma vez as roupas da Kotoko foram uma lindeza a parte, todas fofas e lindas como devem ser. Então temos muitas saias rodadas, babados, vestidinhos e casaquinhos lindos, quero todos!

3- A magreleza do Furukawa Yuki. Absurdamente o ator tem 1.80m e pesa somente 60kg?Como assim produção? É praticamente o meu peso! Não que ele não seja bonito, ele é, tem todo o seu charme, mas a maioria das vezes que eu o via, via seus bracinhos ou suas perninhas, eu ficava chocada, ele dançava na roupa de tão magro, é um pouco assustador se quer saber minha opinião…
3.1- e as cenas em que ele carregava a Kotoko? Aquilo não me enganava, eu podia ver através da encenação que ele não tava aguentando mais, certeza que ele teve ajuda pra manter ela nos braços e ainda fazer aquela cara “Macho Alfa”! Mesmo assim, o ator é um lindinho! Tem 25 anos, mas parece ser bem mais novo, acho que ele vai ser uma daquelas pessoas que pode ter 60 anos e nunca parecer velha (sorte a dele)

4- O pai da Kotoko, o Sr. Aihara, foi uma decepção a parte. Mesmo sem comparar com a versões que eu já assisti (o anime e a coreana), ele não me passou os sentimentos de um pai amoroso que ele é. Até os choros eram falsos, eu só ouvia o “Haaa, quen quen quen” e nada de lágrimas, nada de emoção. Nota zero para o ator, podia ter caprichado. Outro personagem que eu amo é a Sra. Irie, mas que também não me apeguei aqui. Ela é a sogra que toda mulher pediu a Deus, mas nessa versão ela pareceu apenas metida e forçada, talvez fosse o exagero que cenas cenas exigiam, mas eu não vi o amor dela pela Kotoko aquela coisa toda, fiquei triste com isso também.

5- O  Kinnosuke foi ótimo, ao contrário das outras versões, ele me pareceu mais preocupado com a Kotoko e menos rival do Irie, sério, não achei que ele em algum momento mexeu com os sentimentos dela (O AMOR DELA É 100% PARA O NAOKI !), por outro lado, foi aquele amigo de ombros sempre a prontos, o que me deu muita pena dele.

6- Cenas de ciúme! E teve, dessa vez eles deram um pouco mais na mão e o Irie Naoki sentiu mais ciúmes da Kotoko logo no começo do drama, e acredito que isso me fez gostar bem mais dele. Eram coisas bem simples, tipo um olhar quando o Kinnosuke abraçava ela, coisas assim. Mas que me deixaram imensamente feliz 😀 E como mencionado ele levou uma bofetada da Kotoko, ganhou meu respeito a guria!

7- Os beijos: Ainda não sei como classificar, foram lindos e fofos, vejamos:
7.1- O primeiro beijo pareceu que foi na bochecha e não na boca, o que me deixou levemente frustrada, mais o contexto em si foi bom;
7,2- O beijo 2, foi o que mais gostei. Foi simples, mas a forma que ele a beijou e deu um sorrisinho depois e mais o “silêncio” para o irmão me encantou :D;
7.3- O beijo na chuva era o que eu mais aguardava e ansiava, mas… foi por água a baixo, não que não foi bom, só que eu não vi muita paixão ali, o que me desapontou.

Enfim, apesar das muitas críticas eu realmente amei esse drama, de coração, e pensar que eu quase não o assistiu, que bom que eu mudei de ideia, não me arrependo nem um pouco, virei fã do casal e já shippo os dois, quero ver eles casados e com um bando de criancinhas hahahha. Gostei dessa versão, pois eles deram mais liberdade ao enredo, apesar de faltar algumas cenas que eu acho fundamental, eles souberam adaptar bem. Eu vi mais amor próprio na Kotoko, e mais dúvidas em relação ao Naoki, só bem no final que eles destoaram um pouco, mas ainda assim, teve um final satisfatório.
Você termina com aquela sensação de quero mais, e bem vai ter!!!! Foi confirmada a 2º temporada! Senhores e Senhoras japoneses, vocês fizeram uma garota bastante feliz aqui!

E olha que legal, os atores que estrelaram o drama de 1996 fizeram uma rápida participação! Tão lindos!

Conclusão: Nunca subestime um bom romance água com açúcar!
Nota: 10!